Funcionalismo do Estado começa o ano sem previsão de pagamento do 13º Salário

Juatuba e Mateus Leme têm mais de 400 servidores nesta situação, só na área da Educação e nas polícias

Fernando Pimentel (PT) entregou o governo do Estado para Romeu Zema (Novo) sem quitar o 13º Salário dos servidores. Em 2017, o então chefe do Executivo de Minas Gerais dividiu o benefício em quatro vezes, com depósitos em janeiro, fevereiro, março e abril de 2018. Essa era a medida esperada novamente pelo funcionalismo. Porém, Pimentel deixou o cargo sem qualquer previsão para a chamada gratificação natalina. E, o governador empossado nesta semana também não tem perspectiva de datas para efetuar os pagamentos.

Em Juatuba e Mateus Leme, só na Educação e nas polícias Civil e Militar são mais de 400 trabalhadores sem o 13º Salário. Na primeira cidade há cinco escolas estaduais: Elias Salomão, Barão de Mauá, Manoel Antônio de Sousa, Alvino Alcântara Fernandes e Domingos Justino Ribeiro. Na outra, duas:Maria Rita Duarte e Joaquim Correa. Além desses, há os funcionários de várias outras áreas, que estão na mesma situação.

Em entrevista na terça-feira, 02, Romeu Zema disse que o benefício dos servidores não será quitado “tão cedo”. O novo governador disse que a gestão anterior não deu acesso à equipe desta administração aos dados financeiros durante a transição. “A partir de hoje é que levantaremos os números. Mas, nós sabemos que a situação de Minas Gerais é extremamente delicada. É um Estado falido”, afirmou.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.