Sexta, 20 Outubro 2017

As possíveis irregularidades praticadas pela Companhia de Saneamento de Minas Gerais – Copasa – na prestação dos serviços à população de Mateus Leme serão alvo de uma Comissão Parlamentar de Inquérito – CPI. O Legislativo iniciou nesta semana as providências com o propósito de apurar abusos cometidos pela estatal na cidade. Com o consenso dos vereadores em relação à medida, confirmado na última reunião ordinária, um requerimento está em fase de elaboração pelo setor Jurídico e deverá ser protocolizado na Casa em poucos dias. 

A principal motivação para o pedido de CPI, sob a liderança do presidente da mesa diretora, Cristiano de Oliveira, foi o grande número de reclamações feitas contra a Copasa. Um dos fatores que pesaram, o preço cobrado pela água e agora, a taxa de esgoto, fixada, a partir de agosto, em 90% do valor referente ao consumo mensal dos recursos hídricos, sem a cobertura de 100% do tratamento dos efluentes. “Quando foi renovada a concessão, a empresa herdou um sistema de captação feito pela Prefeitura, custeado com dinheiro público e começou a cobrar uma tarifa de 40% sem investir nem um real”, comentou Cristiano Oliveira. 

Ainda de acordo com o parlamentar, a maior causa da revolta atualmente é o fato de a estatal, apesar da cobrança pela coleta, continuar despejando os dejetos nos ribeirões. “A Estação de Tratamento de Esgoto começou a funcionar no meio deste ano, mas contempla somente o bairro Central. Nas demais regiões, tudo continua do mesmo jeito. E a taxa, que estava em 60%, aumentou para 90%. Qual é o embasamento para isso? E os córregos continuam a receber a poluição, enquanto pouquíssimas extensões de redes coletoras e de fornecimento de água foram construídas”, explicou. 

Segundo o presidente da Câmara, a manutenção também deixa a desejar e quando é feita, a Copasa ainda desrespeita a legislação municipal e demora a consertar os danos causados nas vias públicas para a execução dos serviços, situação que pautou matéria publicada recentemente por este veículo de comunicação. O vereador afirmou que falta transparência nos processos. “A água que abastece o Sistema Serra Azul é oriunda de Mateus Leme. A concessionária não paga nada pelos recursos, que vende a preço de ouro. Além disso, não protege as nascentes, não incentiva os donos de terras nas regiões onde estão a fazer isso. Sem contar a quantidade de vezes em que o abastecimento é suspenso”, resumiu o vereador. 

 

Apurações pelo Ministério Público

 

A Copasa já é alvo de investigação também pelo Ministério Público. Na semana passada, o promotor Almir Guimarães informou à Câmara de Mateus Leme a abertura de procedimento preparatório para averiguar as denúncias contra a estatal.  A apuração tem como base a elevação da taxa de esgoto de 63,4% para 90%.  A medida foi tomada após o Legislativo pedir esclarecimentos sobre alguns fatos, principalmente a  cobertura do serviço de tratamento dos efluentes. 

 

A manhã de domingo, 1º de outubro, foi marcada em Francelinos pela I Caminhada Franciscana Ecológica. A mobilização, organizada pela comunidade de São Francisco de Assis, do Eldorado, teve como tema principal a defesa da água e da vida. Os militantes saíram pelas ruas do bairro com cartazes, músicas, reflexões e orações, chamando a atenção para a importância de cuidar da natureza, num resgate da proposta da Campanha da Fraternidade de 2017. 

A passeata também lembrou a Semana Nacional da Vida e o Dia do Nascituro, que é celebrado amanhã, 08. A iniciativa contou com apoio e participação da Pastoral Familiar, da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, da Companhia de Saneamento de Minas Gerais – Copasa – e envolveu toda a comunidade local. 

 

Em parceria com a administração, o Serviço Social da Indústria – Sesi, vai promover em Mateus Leme o Cozinha Brasil. A expectativa é de que sejam beneficiadas 60 pessoas, no período de 09 a 11 de outubro. As aulas, das 08h30 às 11h30, serão no galpão da Prefeitura, no bairro Nossa Senhora do Rosário. A idade mínima para participar é 16 anos e as inscrições devem ser feitas na agência do Sistema Nacional do Emprego – Sine -, que fica na rua Dalila Alves da Cunha, atrás da Pracinha da Criança. O interessado precisa apresentar comprovante de endereço, carteira de identidade e CPF. 

O Cozinha Brasil é uma iniciativa do Sesi, com marca consolidada em todo o país na melhoria da qualidade de vida a partir da alimentação saudável. Criado em 2004, o programa consiste em cursos que ensinam o preparo de alimentos saborosos e nutritivos a baixo custo, sem desperdícios, em consonância com as diferenças regionais e estações. 

 

No próximo dia 18, a partir das 09h40, Juatuba recebe o pesquisador e escritor Jacques Fux. Convidado especial do projeto Biblioteca em Movimento, ele vai ministrar palestra sobre o tema “Literatura e Ciência: E Outros Enigmas das Palavras”.  

Nascido em Belo Horizonte, em 1977, Jacques Fux é graduado em Matemática e mestre em Computação pela Universidade Federal de Minas Gerais; doutor e pós-doutor em Literatura, pela UFMG, por Lille 3, na França, e Unicamp, além de contabilizar experiências na área de pesquisas em Harvard e vários prêmios de abrangência nacional. 

O encontro tem à frente a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo. Mais informações na Fundação Dona Preta, que fica na rua José Monteiro, 200, no bairro Varginha, ou pelo telefone 3535-8199.  

 

A fotografia se tornou tão importante na vida de todos por permitir que momentos, pessoas, lugares, sorrisos e também objetos sejam eternizados. Por meio dessa arte, as novas gerações conhecem a história das famílias e de períodos importantes da sociedade. Além disso, as pessoas também podem relembrar ocasiões que marcaram de alguma forma. 

Para que uma foto se perpetue, é preciso que ela seja feita com a técnica ideal,  e que o fotógrafo tenha um olhar diferenciado, prática e paciência, para conseguir captar o momento exato que deve ser registrado. O profissional tem a missão de compor a imagem para que a mesma provoque emoções nas pessoas. É com esse profissionalismo que a Zona Franca tem guardado momentos únicos da vida de inúmeras pessoas, nos últimos 25 anos, e também as noites memoráveis do Troféu Evidência, desde a primeira edição.

A empresa, fundada em Itaúna, é referência no mercado da fotografia em toda a região, e vai se reinventando sempre, para oferecer o melhor serviço. “Os nossos clientes visam eternizar desde a fase gestacional à foto com a família completa. A fotografia mexe com as pessoas por registrar os melhores momentos, a felicidade. Elas dizem que é a melhor maneira de evidenciar as lembranças”, explica a fotógrafa Cristina Santos.  

Além da qualidade no atendimento, a Zona Franca se diferencia pela agilidade na entrega dos produtos, visando sempre satisfazer a quem contrata a empresa. E com o avanço tecnológico, as pessoas passaram a ter ainda mais possibilidades de produtos gráficos para presentear quem tanto estimam. 

“O surgimento de novas tecnologias foi muito benéfico para a fotografia, porque culminou em mais agilidade dos serviços, principalmente no que diz respeito à era touch screen, que possibilita entrega rápida das fotos produzidas em estúdio e a revelação diferenciada”, comenta Cristina. 

Este ano, mais uma vez a Zona Franca estará presente na cerimônia de entrega do Troféu Evidência, registrando a solenidade, os homenageados,  convidados e parceiros, tão importantes para a organização do evento. A noite de premiação, com destaque para as personalidades e profissionais que contribuem também para o desenvolvimento de Juatuba e Mateus Leme, será em 21 de outubro, no Grande Teatro da Universidade de Itaúna. 

 

Mateus Leme teve motivos para comemorar a divulgação da última estimativa populacional do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE –, referente a 2017. A cidade ganhou 255 habitantes entre o 2016 e este ano, conforme o levantamento. E, com isso, conseguiu mudar de faixa na classificação usada para orientar os repasses do Fundo de Participação dos Municípios – FPM. 

Com o novo coeficiente, de acordo com os prognósticos, Mateus Leme vai receber, em média, R$ 2,5 milhões a mais em recursos do FPM em 2018. Segundo o IBGE, a população subiu  de 30.423 pessoas para 30.678. A pesquisa é feita anualmente, com data de referência de 1º de julho, e publicada, geralmente, em setembro. As projeções, divulgadas no Diário Oficial da União, são utilizadas como base de estudos, análises e projeções que fundamental ainda a tomada de decisões de governo federal, estadual e municipal. 

A previsão é de que o FPM garanta R$ 87,34 bilhões no ano que vem para as 5.570 cidades brasileiras. Do montante, cerca de R$ 11,47 bilhões virão para Minas Gerais. Embora  639 localidades do Estado tenham apresentado crescimento das estimativas populacionais, em apenas 13 delas houve mudança de faixa, segundo balanço da Associação Mineira dos Municípios - AMM. O Fundo de Participação dos Municípios é uma transferência constitucional da União para as prefeituras. O FPM é composto de 22,5% da arrecadação do Imposto de Renda – IR - e do Imposto sobre Produtos Industrializados - IPI. Nos meses de julho e de dezembro há a distribuição de mais 1% do “bolo”.

 

Familiares de um homem desaparecido em Mateus Leme suspeitam que seja dele o cadáver encontrado queimado no povoado de Arrudas, zona rural de Itaúna, na divisa com o distrito de Azurita, no último dia 11. Os parentes da vítima, do bairro Araçás, procuraram a Polícia Civil e apresentaram a hipótese. 

De acordo com o delegado Diego Lopes, a identificação do corpo só poderá ser feita após DNA, devido ao estado em que ficou. Além disso, as pontas dos dedos foram arrancadas. O resultado do exame deve ser entregue à corporação no prazo de 30 dias. A suspeita é de que indivíduo estivesse envolvido com o tráfico de drogas. 

O cadáver foi localizado por moradores, numa estrada vicinal. Segundo relatos das testemunhas, no dia anterior houve um incêndio num eucaliptal.  No local, membros da comunidade se depararam com o corpo, que estava envolvido por uma carcaça de pneus. A perícia constatou que a vítima estava morta há aproximadamente três dias e apresentava perfurações causadas por arma de fogo no braço esquerdo e na cabeça, além das mãos mutiladas. 

 

Está marcado para a próxima terça-feira, 03, em Belo Horizonte, o leilão de parte da frota do Tribunal de Justiça de Minas Gerais – TJMG. O certame será realizado entre 09h e 12 horas. Estarão disponíveis 41veículos, principalmente das marcas Fiat, General Motors e Chevrolet. Entre os modelos, Astra, Celta, Corsa, Kombi, Palio Weekend e Fire, Prisma e Uno, fabricados entre 2004 e 2013. Os lances variam de R$ 1 mil a R$ 12 mil. 

Os interessados devem fazer cadastro na segunda-feira, 02, na Unidade de Atendimento ao Trabalhador, que fica na Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social, na rua Engenheiro Felipe Caldas, 510, no bairro Gameleira, das 09h às 16h. Os bens poderão ser avaliados no local, das 08h às 12h e das 13h às 17h. 

O acesso é aberto ao público em geral, funcionários terceirizados e parentes de servidores do TJMG. O edital foi disponibilizado na página da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão. A justificativa para o leilão, quatro meses após medida semelhante adotada em maio, é de adequar a frota às necessidades atuais, evitando que os veículos fiquem ociosos por não terem uso no momento. O Tribunal alega ainda que a venda vai permitir a melhor utilização dos recursos disponíveis e a redução dos custos com manutenção. 

 

O programa Agente Mirim de Trânsito, desenvolvido pela concessionária da MG-050, em parceria com a Prefeitura de Mateus Leme realiza capacitação de cerca de 1.300 crianças na faixa etária entre seis e 12 anos. A iniciativa visa despertar, entre os estudantes das escolas municipais e estaduais, o senso de cidadania, além de orientá-los, para que atuem como multiplicadores e incentivem os pais a adotarem comportamento seguro nas vias públicas. A capacitação abrange aulas teóricas e práticas sobre a legislação. Distribuição de bloquinhos de multa para que os pequenos possam “autuar” familiares e amigos quando cometerem infrações, também faz parte da ação.

 

Juatuba e Mateus Leme, assim como várias outras cidades de pequeno porte em Minas Gerais, também fazem parte da rota das organizações criminosas responsáveis por ataques aos terminais de autoatendimento dos bancos. Os dois municípios registraram ocorrências do tipo neste ano. As autoridades de todo o estado estão no encalço dessas quadrilhas, que têm causado pânico em várias localidades e, a intensificação das investigações tem ajudado a desmantelar alguns desses grupos.

Um dos suspeitos das explosões de caixas eletrônicos em toda a região foi preso em Contagem, na semana passada. De acordo com o delegado Wesley Castro, responsável pela investigação, Guilherme Nostradamus Santana, de 26 anos, estava foragido desde o ano passado e pode estar envolvido em vários casos, ainda sob apuração. 

Em setembro de 2016, ele foi preso em Divinópolis com armas, drogas e aproximadamente R$ 9 mil em dinheiro. Após a soltura, o rapaz continuou a praticar crimes, o que ocasionou em um mandado de busca e apreensão expedido pela Justiça. Nostradamus conseguiu fugir da Polícia e a partir de então, começaram as investigações para localizá-lo. 

O suspeito chegou a morar em Uberlândia e no estado do Paraná, antes de vir para a Região Metropolitana de Belo Horizonte, onde residia há cerca de um semestre. Ele foi monitorado pelos investigadores durante três meses. O jovem usava documentos falsos e vendia roupas, também falsificações de grifes famosas. Com ele, os policiais encontraram notas de dólar e euro. Nostradamus e a esposa vinham os produtos, junto de outras pessoas de Contagem. A suspeita é de que o dinheiro tenha sido obtido por meio de assaltos. 

 

SUGESTÃO DE MATÉRIA

EDIÇÃO EM PDF ONLINE