Novo estudo da ArcelorMittal amplia área atingida em caso de colapso da Mina de Serra Azul

0
176
Foto: Jornal Hoje em Dia

Como medida preventiva, mineradora realocou cerca de 30 famílias de duas comunidades próximas

Itatiaiuçu – Abarragem desativada de Serra Azul, em Itatiaiuçu, voltou a ser destaque no noticiário nacional após a realização de um novo estudo pela mineradora ArcelorMittal, que ampliou a mancha que seria atingida em caso de colapso da estrutura da Mina. Conforme informações divulgadas pela própria empresa, como medida preventiva, a ArcelorMittal decidiu realocar cerca de 30 famílias de duas comunidades.

Em nota, a mineradora informou que “tem trabalhado com as autoridades e com especialistas independentes para atualizar os modelos para a barragem desativada de Serra Azul” e que “após a atualização da análise teórica de rompimento de barragem (dam break) e adotando premissas mais conservadoras, a área potencial de impacto foi ampliada, mantendo uma margem de segurança maior”, em razão disto, decidiu realocar as famílias de forma preventiva.

O tenente coronel Flávio Godinho, coordenador adjunto da Defesa Civil de Minas Gerais, esteve em reunião nessa quinta-feira, 04, com a mineradora, o Ministério Público e a Secretaria de Saúde em função do novo estudo, apresentado ontem para a Agência Nacional de Mineração. A ArcelorMittal destacou que não houve alteração no nível de emergência da barragem. Desde fevereiro deste ano, a estrutura está no nível 2 de risco.

O CEO da ArcelorMittal Mineração Brasil, Sebastião Costa, se pronunciou sobre o caso. “Agimos rapidamente em fevereiro de forma a garantir que não houvesse nenhum risco para a comunidade do entorno da barragem de Serra Azul. Faremos tudo que estiver ao nosso alcance para apoiar as famílias impactadas por esta última decisão, considerando que a nossa prioridade é a segurança, sempre”, disse.

A barragem de rejeitos da Mina de Serra Azul, que é à montante, está desativada desde outubro de 2012. Desde então, Serra Azul está operando sem nenhum rejeito úmido, o qual foi substituído pelas metodologias de empilhamento a seco e em cava. Em fevereiro de 2019, a Mina de Serra Azul implementou uma evacuação preventiva da comunidade local com base em novos fatores de análise de segurança, após os recentes incidentes ocorridos no setor de mineração brasileiro.

Desde a evacuação, em 08 de fevereiro, o monitoramento foi ampliado para incluir medidas adicionais, como monitoramento por vídeo 24 horas, monitoramento por radar, monitoramento sísmico, inspeções por drone e automação dos dispositivos de medição de nível do reservatório.

Ainda segundo a ArcelorMittal, está sendo mantido contato constante com as autoridades locais e a prioridade é garantir que os moradores estejam em segurança. A mineradora disse ainda que eles serão transferidos para acomodações temporárias e que novas ações e estudos complementares estão sendo feitos para avaliar as opções para retornar ao plano de descomissionamento da barragem de rejeitos de maneira segura.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui