Mateus Leme ganha destaque no Estado e é inserida no Mapa Nacional do Turismo

0
109

Com a conquista, Município poderá ter investimentos do governo federal para desenvolvimento do setor

No último sábado, 06, o prefeito de Mateus Leme, Júlio Fares, anunciou que a cidade entrou, oficialmente, pela primeira vez em sua história, no Mapa Nacional do Turismo. Com isso, a cidade passa a contar com novas possibilidades para sua economia, baseadas no desenvolvimento turístico. “Esta é uma grande conquista, pois, a partir de agora, nossa cidade está apta para receber recursos financeiros e investimentos para esta finalidade, através no Ministério do Turismo”, afirmou o prefeito em uma rede social.

Por Mateus Leme possuir uma identidade histórica, cultural, econômica e geográfica, detém um grande potencial turístico. “É uma grande oportunidade nosso município fazer parte no mapa, pois facilita a distribuição e investimento do recurso. Além de ser beneficiado por políticas públicas”, disse Júlio Fares.

Entre as atrações turísticas oferecidas pela cidade estão a Igreja Matriz de Santo Antônio, a Estação Ferroviária de Azurita, o Circuito de Flores e a Serra do Elefante. O secretário de Administração, Marcus Júnior, afirma que a inserção ajuda o Município a fomentar a pasta com recursos estaduais e federais, além de ingressar em programas relacionados ao turismo. “Estávamos preparando a base para isso, realizamos reformas de monumentos históricos, além da criação do Conselho de Turismo, do Centro de Atendimento ao Turista – CAT -, o que eleva o município a um potencial turístico muito grande. Entre as ações que planejamos, é realmente voltado a essa proximidade que nós temos a Belo Horizonte, alguns bens patrimoniais, como a Rua do Casarão Nardeli, que é um bem patrimonial muito interessante, porque são casarões, mesmo que poucos, conservados na cidade, além do município estar se destacando como um grande produtor de flores, criando o circuito, muito temos que implementar, então é um grande passo para a fomentação do turismo por aqui”, explica Marcus Júnior.

Um inventário do município já foi criado e será atualizado periodicamente por meio do Portal Minas Gerais, que tem como objetivo divulgar e promover os destinos turísticos do estado. “Estar inserido no Portal Minas Gerais é de grande importância para nós, uma vez que ele é uma relevante ferramenta de promoção e gestão para todos os agentes do setor, sendo, portanto, uma plataforma para comercialização de nossos produtos”, afirma a coordenadora de Turismo, Regina Alcântara. A coordenadora de Turismo salientou ainda que “estreitando a relação entre o turista e os equipamentos turísticos, o portal unifica, com base no inventário dos municípios mineiros, informações essenciais à cadeia produtiva do turismo”.

O prefeito Júlio Fares se mostrou otimista com a notícia e falou sobre os próximos passos. “Vários projetos serão implementados para que o turismo no município se solidifique e prospere. Com muito trabalho e determinação, Mateus Leme entra, definitivamente, para uma nova era, com um novo jeito de fazer”, concluiu.

Associação apoia ecoturismo, mas alerta que é preciso preservar

A Serra do Elefante provavelmente será o carro chefe do turismo em Mateus Leme e a Prefeitura já vem investindo nesse ecoturismo, realizando alguns eventos com percursos dentro da Serra. Com a inserção da cidade no Mapa do Turismo, o Executivo planeja ampliar suas ações no local. “Vamos organizar cada vez mais eventos, divulgar a Serra do Elefante a nível estadual, porque não a nível nacional, porque é uma beleza natural muito grande e ainda pouco explorada de forma positiva. Uma das intenções é alavancar recursos para conseguir fazer o calçamento poliédrico da estrada que leva do pé da serra até o alto dela, onde tem uma igrejinha e o local também já realiza voos de paraglider”, ressalta o secretário de Administração Marcus Júnior.

A Associação Amigos da Serra do Elefante acredita que o turismo agregará muito à cidade, entretanto, em relação à forma de exploração do local, ainda tem ressalvas. “Nós temos muitos problemas a se resolver de fato para que a serra se torne um produto a ser explorado. O primeiro deles é que, embora ela seja uma unidade de conservação que foi criada há 10 anos, não foi devidamente implementada. A serra sequer é respeitada no município, porque até hoje, a municipalidade, que é responsável, gestora da unidade, não fez a implementação dela, muito pelo contrário, diminuiu sua área em grande parte a empreendimentos imobiliários, e, justamente por causa disso, tivemos que recorrer a Justiça pedindo o embargo desse empreendimento (que ainda está em tramitação). Por causa do descaso do Executivo, não só nesta gestão, mas de todas as outras anteriores, já perdemos uma década, que poderia estar-se investindo no turismo”, pontuou a presidente da associação, Cleide Nilza Cândido.

Segundo a representante da associação, a entidade é a favor do turismo, entretanto os projetos apresentados precisam ser compatíveis com a preservação ambiental, histórica e cultural, algo, que segundo a organização, não é visto sendo praticado pelo Executivo.

“Como que vamos compatibilizar (esse tipo de) turismo com descaso naquilo que deveria ser preservado. Mas, esperamos que seja isso que faltava para que eles se preocupem com a unidade de conservação. Talvez, esse seja o pontapé inicial e através disso, eles percebam que a dinâmica é cíclica, não tem como você falar hoje em explorar qualquer produto dentro de uma cidade sem que você se preocupe em preservar isso. Essa é nossa opinião, não somos contrários ao turismo, somos a favor, mas entendemos que tem outros caminhos e que temos que andar juntos. Se você tem uma área e a destina para o turismo, sem se preocupar em uma legislação forte, que a preserve, com uma fiscalização atuante, você vai estar partindo para um turismo predatório, que eu tenho certeza que não é o que o mateus-lemense quer e acredito que também não seja o que o prefeito quer. Eles sabem que podem contar conosco, inclusive porque a serra só se encontra no nível de preservação que está até hoje, muito pela força do nosso trabalho”, afirmou Cleide.

Sem funcionários Matriz de Santo Antônio fica fechada

Em parceria com a Prefeitura, a Igreja Matriz de Santo Antônio pode ser reformada pela Paróquia no final do ano passado. A Paróquia mantém a estrutura da igreja, sob a orientação do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais – IEPHA -, que precisa autorizar qualquer intervenção no espaço.

O pároco Aldair Custódio da Silva explica que, hoje, a Capela do Santíssimo fica aberta, mas a igreja em si não, por falta de funcionários. “Não temos funcionários para ficar lá durante o dia e ela não tem portas da sacristia. Como é uma igreja muito antiga, ela não pode ficar aberta, mas pela capela a pessoa consegue ver o interior do lugar”. Contudo, o padre garante que a questão da visitação da igreja pode ser discutida com a implementação do turismo na cidade. “Como foi agora que entrou nesse cenário nacional, eu acho que as coisas, depois, devem ser mais bem definidas, junto com a Prefeitura ou através dos nossos próprios recursos”, disse.
O Executivo, agora, está reformando a praça em torno da Matriz, com a troca de bancos e o paisagismo do lugar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui