Abstenção cresce e ultrapassa 20% em Juatuba e Mateus Leme

0
160

Adônis Pereira foi reeleito em Juatuba com 59,62% dos votos;
Dr. Renilton venceu disputa acirrada pelo cargo em Mateus Leme

Em um ano de adaptações, o processo eleitoral não poderia ter sido diferente. A dificuldade de realização de reuniões durante a campanha, o distanciamento durante a votação, álcool em gel, caneta, máscara, tudo foi incorporado às eleições municipais de 2020. Com as mudanças, seja pelo medo da Covid-19 ou pela descrença política que tomou conta do país nos últimos anos, o índice de abstenção, ou seja, de pessoas que não votaram, cresceu consideravelmente em Juatuba e Mateus Leme.

O índice é calculado com base no número total de eleitores do município. Ele leva em consideração apenas aquelas pessoas que nem sequer compareceram às seções eleitorais. Em Juatuba, 4.589 pessoas deixaram de lado seu direito ao voto, o que resultou em abstenção de 21,19%. Na última eleição geral em 2016, a cidade registrou a falta de 2.930 eleitores, 14,60% do total.

Já em Mateus Leme, o número de abstenções foi de 23,60%, já que 6.071 cidadãos não foram às urnas. O município, assim como Juatuba, teve aumento considerável das faltas em relação a 2016, quando foi registrada abstenção de 17,71% dos eleitores. É preciso lembrar que neste ano, em razão da pandemia, pessoas que apresentassem febre no dia da votação ou tivessem diagnóstico positivo da Covid-19 até 14 dias antes do pleito não deveriam sair de casa. Quem não compareceu à eleição tem até 60 dias para justificar a ausência junto à Justiça Eleitoral.

Prefeitos eleitos

Mais do que uma obrigação, o voto é parte do contexto de ser cidadão, pois quando você vota e escolhe um candidato, você tem a quem cobrar e fiscalizar durante quatro anos. A abstenção, mais do que um número, são pessoas que optaram por não escolher. E, sabe aquela história de que cada voto conta? É a pura verdade. Basta observar os números do pleito em Mateus Leme.

O município tinha quatro candidatos na disputa, mas, desde o início do período eleitoral, as conversas pela cidade já indicavam um embate entre Dr. Renilton (Republicanos) e Júlio Fares (PP). E foi o que ocorreu. A definição do próximo prefeito de Mateus Leme ocorreu voto a voto, com Dr. Renilton ficando em primeiro com 7.462 votos (42,40%) e Júlio Fares em segundo com 7.134 votos (40,53%). A eleição mateus-lemense foi definida por uma diferença de apenas 328 eleitores. No total, a cidade teve 19.649 votos, sendo 17.601 válidos, 1.306 nulos e 742 brancos. O candidato Marlon (PDT) teve 2.283 votos e Ronaldo Moreira (PMN) teve 722.

Enquanto isso, em Juatuba, o atual prefeito Adônis Pereira (Patriota) foi eleito com folga após ter recebido 8.949 votos (59,62%). O segundo colocado foi Otto Faleiro (PDT) que teve 4.072 votos (23,13%), seguido de Wellington Pinheiro (PMN) com 1.564 votos e Mestre Israel (PSC) com 425. O município contou com 17.072 votantes, dos quais 15.010 foram votos válidos, 1.344 nulos e 718 brancos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui