Dr. Renilton agenda reunião, mas deixa líderes comunitários esperando em frente à prefeitura

0
40

Moradores ficaram mais de uma hora aguardando por reunião, previamente agendada, com o prefeito; objetivo era discutir problemas no abastecimento de água

Diálogo. Era isso que cerca de 15 representantes dos bairros Tiradentes, Coqueiral, Atalaia e Paraíso desejavam ao marcar uma reunião com prefeito Renilton Coelho. O encontro, agendando com antecedência pelo vereador Lúcio Madureira, seria usado para esclarecer a interrupção das obras da rede de abastecimento de água da região. O que ocorreu foi a espera por mais de uma hora, por parte dos moradores, sem que o prefeito ou um assessor aparecesse para conversar.

As obras de construção da rede de abastecimento desses bairros começaram ano passado. A expectativa era que até março aproximadamente oito km de rede fossem concluídos e amenizassem parte dos problemas de fornecimento de água na comunidade. Janeiro chegou e a obra foi interrompida sem maiores explicações e há cerca de 15 dias não chega água nos bairros.

Sem saber a quem recorrer, os moradores buscaram a ajuda do vereador Lúcio Madureira, que procurou a Copasa. A companhia informou que as obras foram suspensas a pedido da administração municipal. Diante disso, tentaram respostas diretamente com o prefeito. “Marcamos a reunião para as 14h e chegamos no horário. Uns saíram do serviço, outros pediram folga para vir, porque era um assunto de interesse e falta d’água é muito triste. Ficamos lá uma hora, 15 pessoas esperando, o pessoal saiu indignado e ele não nos atendeu”, detalhou Lúcio. Como alguns representantes precisavam voltar ao trabalho, eles desistiram de esperar e foram embora.

Falta de água também em Azurita

Moradores do distrito de Azurita também têm passado sufoco com o desabastecimento nos últimos dias. A água não chega e, quando vem, a pressão é pouca. As reclamações tomaram conta das redes sociais cobrando providências da prefeitura sobre a questão, já que no ano passado, a administração anterior entrou com duas ações judiciais demandando a regularização do fornecimento.

Sem ação do Executivo, a vereadora Adelaide Siqueira, após ouvir os moradores, encaminhou pedido de informação para a Copasa. Ela solicitou esclarecimento sobre os motivos da falta de água, o porquê de as interrupções serem tão longas e o que a empresa tem feito para sanar o problema.

Ao JORNAL DE JUATUBA E MATEUS LEME, a Copasa informou que abastecimento em Azurita foi normalizado nesta quinta-feira, 4. A companhia afirmou que ocorreram problemas operacionais no sistema de bombeamento do poço que abastece a região e ainda a paralisação do sistema na segunda-feira, 1º, devido à queda de energia. Além disso, no domingo, 31, a empresa registrou ocorrência de vandalismo no sistema de bombeamento que abastece o bairro Nossa Senhora do Rosário, o que acarretou reclamações de falta d’água no período.

A Copasa ressaltou ainda que, quando ocorrem interrupções no fornecimento de água, é feita a comunicação com a prefeitura e, quando a manutenção é programada, esse comunicado é feito com três dias de antecedência. No entanto, quando se trata de manutenção emergencial, a comunicação é feita assim que notificado o problema.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui