Efeito Covid: inauguração da maior cascata artificial do país é adiada

0
529

Hotel localizado no Distrito de Serra Azul se adapta para receber clientes

Muitos investimentos precisaram ser suspensos devido à pandemia da Covid-19. De acordo com o Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil, a expectativa em 2020 era de uma ocupação média de 66% e crescimento de 5% em valores reais, nas diárias. Entretanto, o que se viu até agora, foi uma queda brusca na comercialização de viagens, hospedagens e pacotes turísticos, resultando no fechamento temporário de grande parte dos empreendimentos do setor. Exemplo disso é um hotel fazenda no distrito de Serra Azul, em Mateus Leme.

O empreendimento tinha grandes planos para 2020, mas precisou se adaptar. Apesar de não ter fechado, a gerente Vanilda Marques explica que a ocupação caiu muito e que no mês de maio, praticamente não houve reservas. Mesmo diante desse cenário de baixa procura, o hotel se adaptou para receber os clientes, que lentamente estão voltando. “Não paramos nossas atividades. O decreto da prefeitura impôs limitações como o número máximo de pessoas hospedadas, distanciamento das mesas no restaurante, aferição de temperatura de todos que chegam às nossas instalações, além do fato de não podermos abrir ao público geral e somente para hospedagem pré-agendada. Com estas medidas restritivas, a gente está reaprendendo a trabalhar. A demanda ainda não está grande, mas não fechamos totalmente”, detalhou.

Uma das principais iniciativas do hotel fazenda neste ano seria a inauguração da maior cascata artificial do país. O projeto já estava em fase de acabamento, faltando apenas o paisagismo e estrutura hidráulica, entretanto, a obra precisou ser interrompida durante a pandemia. Com a extensão de cerca de 3,400 m² e seis metros de altura, a cascata terá vasão d’água de um milhão de litros, que será preenchida com caminhões-pipa de empresas de Betim e Contagem. Ela terá profundidade máxima de 1,3 metros e a parte infantil contará com 30 a 40 centímetros de profundidade. Em sua totalidade, a piscina terá extensão de 550 m².

A construção é reciclável. São pneus, garrafas pets e de vidro, sacos de cimento, entre outros. O objetivo da cascata era criar um espaço para day use, que é quando se paga para usar o hotel durante o dia, sem pernoite. A previsão era receber de 200 a 400 turistas por semana. Vanilda acredita que ainda no segundo semestre, apesar de um ano atípico, o setor deve começar a se reerguer. “As pessoas ainda estão muito temerosas, mas agora parece que está começando a ter uma luz. Muitos clientes estão procurando informações e tendo interesse em conhecer nossas instalações. Acredito que nesse segundo semestre os negócios vão começar a melhorar”, finalizou a gerente.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui