Juatuba e Mateus Leme na onda vermelha do Minas Consciente

0
433

Caso decidam aderir, municípios poderão abrir apenas serviços essenciais

Na semana passada, o Governo do Estado anunciou as novas regras para o plano Minas Consciente. As mudanças foram feitas após consulta pública com o objetivo de garantir a retomada segura das economias dos municípios. Entretanto, até quinta-feira, 06, apenas 400 cidades, das 853 mineiras, aderiram ao programa. Juatuba e Mateus Leme ainda não emitiram posicionamento sobre a adesão.

Entre as principais alterações do Minas Consciente, está a flexibilização para aberturas de serviços não essenciais em cidades com menos de 30 mil habitantes. Isso poderá ocorrer nos municípios que registraram menos de 50 casos por 100 mil habitantes, nos últimos 14 dias. O avanço poderá acontecer, independentemente da situação das macro ou microrregiões nas quais estão inseridos.

No caso de Juatuba e Mateus Leme, as duas estão inseridas na macrorregião Centro, da qual também faz parte Belo Horizonte e os outros municípios da região metropolitana. De acordo com a classificação divulgada nesta quinta-feira, 06, o Centro se enquadra na onda vermelha, que permite apenas o funcionamento de serviços essenciais. Caso façam a adesão, ambas as cidades terão que retroceder nas flexibilizações já feitas, por exemplo, sobre funcionamento do comércio em geral e abertura de igrejas.

Procurada pela reportagem, a administração municipal de Mateus Leme informou que a Secretaria de Saúde está analisando as alterações feitas no Minas Consciente, mas que, a princípio, o município não aderiu. Estão sendo feitos estudos para identificar a viabilidade da adesão e possíveis consequências.

Já a Prefeitura de Juatuba não retornou o contato com a reportagem até o fechamento desta edição. Entretanto, o prefeito Adônis Pereira participou, assim como outros chefes do Executivo de 20 cidades da região, da reunião com o secretário de Estado de Governo, Igor Eto, o secretário adjunto de Desenvolvimento Econômico, Fernando Passalio, o chefe de gabinete da Secretaria de Estado de Saúde, João Pinho, e a diretora-geral da Agência de Desenvolvimento da Região Metropolitana de Belo Horizonte, Mila Costa, para discutir as mudanças no plano Minas Consciente.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui