Justiça Eleitoral investiga proprietários de páginas “anônimas” nas redes sociais

0
127

Campanha tem sido marcada por brigas e crimes cibernéticos na internet

Terminou nessa terça-feira, 21, o prazo para julgamento dos pedidos de registro de candidatura dos candidatos que concorrerão aos cargos de prefeito e vice nas eleições suplementares de 02 de junho em Juatuba. Todas as candidaturas foram deferidas pela Justiça Eleitoral. O candidato Antônio Adônis Pereira chegou a ter três impugnações, no entanto, ele apresentou defesa e o próprio Ministério Público pediu pelo deferimento da candidatura.

São quatro chapas disputando as novas eleições em Juatuba, sendo duas coligações e dois partidos isolados. Concorrem José de Cássio Barbosa e o vice Pedro Edes Gonçalves Coimbra, pelo PMN, e Leonardo Cristiano de Abreu Ferreira e o vice José Alves Ferreira, pelo PPS. Pela Coligação “Responsabilidade e Experiência: a marca de um novo tempo” concorrem Antônio Adônis Pereira (Patriota) e sua vice Maria Célia da Silva (PR). Jurandir Barroso dos Santos (PP) e a vice Maria de Fátima Guimarães Saraiva (MDB), concorrem pela Coligação “Oportunidade para Todos”.

Crimes Cibernéticos na campanha eleitoral

A Justiça Eleitoral está de olho nos crimes cometidos nas redes sociais durante o período de campanha, como, por exemplo, propaganda irregular, disseminação de fake news, difamação e calúnia de candidatos, que estão ocasionando até brigas na internet. Conforme levantou a reportagem, inicialmente, as páginas com descumprimento de alguma lei estavam apenas sendo retiradas do ar. Contudo, como outros perfis “anônimos” são criados, cometendo os mesmos atos, a Justiça está trabalhando na identificação dos proprietários dessas redes sociais, que vão ter que responder criminalmente pela conduta delituosa.

No dia da eleição algumas condutas dos candidatos e de seus apoiadores, além de configurarem crime, são considerados pela Justiça verdadeiros atentados à democracia, tais como o transporte de eleitores com a finalidade de angariar votos, com pena de reclusão de 04 a 06 anos; compra de votos, reclusão até 04 anos; boca de urna, pena de 06 meses a 01 ano; e derrame de santinho nas ruas, 06 meses a 01 ano.

O Cartório da 172ª Zona Eleitoral de Mateus Leme ressalta que a maior penalidade daquele que não tem compromisso com a legalidade é não poder contar com o voto do eleitor. “Fique atento e escolha os seus candidatos levando em consideração o compromisso dos mesmos com o cumprimento da lei, pois os escolhidos serão os gestores do seu município”.

Voto na eleição suplementar é obrigatório

A questão de quem deve votar na eleição suplementar tem causado dúvidas no eleitorado juatubense. O Cartório Eleitoral destaca que o voto no dia 02 de junho, próximo domingo, é obrigatório e os eleitores aptos a votar que não comparecerem às urnas terão que responder as mesmas sanções de uma eleição convencional.

É importante frisar que somente não deve votar na eleição suplementar de Juatuba quem tirou o Título de Eleitor ou transferiu o documento para o Município depois do dia 02 de janeiro deste ano.

Os eleitores terão das 8 às 17h para votar em uma das chapas registradas, com as mesmas mesas receptoras de votos constituídas para as eleições que aconteceram em outubro de 2016.  A diplomação dos candidatos eleitos deverá ocorrer até o dia 21 de junho. 

Zona rural

Para os eleitores da zona rural, será fornecido pela Justiça Eleitoral transporte gratuito, nos mesmos trajetos atendidos pelo transporte escolar, das 07h30 às 17h30.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui