O jeito criativo de celebrar a festa junina em tempos da Covid-19

0
63

Escolas de Mateus Leme fazem festa virtual e não deixam a tradição ser esquecida

Quadrilha, comidas típicas, roupas caipiras, bandeirinhas… Quem não gosta das festas de São João, as famosas e tradicionais festas juninas e julinas? O evento é um dos mais esperados do ano, principalmente entre os estudantes. E para não deixar de celebrar a data, mesmo com a pandemia do coronavírus, várias escolas de Mateus Leme organizaram uma festa junina virtual. O evento online, chamou atenção dos internautas pela forma inovadora de lembrar os festejos e, mesmo sendo realizado através de uma plataforma digital, não faltou animação. As imagens dos educadores e dos alunos foram parar nas redes sociais e conquistaram muita gente.

De acordo com a diretora da UMEI Dona Carmita, Carol Salomão, não é um costume a festa junina na unidade, porém, neste ano, diante da distância entre professores e alunos, eles encontraram uma forma lúdica de tratar pedagogicamente um assunto importante com os alunos: a alimentação. “As crianças quando chegam na UMEI, muitas vezes, não sabem de onde vem a fruta, a verdura ou o leite. Para elas, tudo vem do supermercado, da caixinha, do pacote. Então, para que pudéssemos começar a trabalhar alimentação com as crianças, aproveitamos a parceria que temos com os agricultores familiares, e fizemos algo prático, para que elas colocassem a mão nos produtos e tivessem vontade de comer”, explicou a diretora.

E aproveitando o tema junino, surgiu o arraial em homenagem aos “agricultores da terra”. As famílias foram incentivadas a vestir as crianças com roupas que remetessem ao campo e também montar uma mesa com alimentos cultivados na horta, como milho e amendoim, típicos das festas juninas também. A iniciativa teve grande adesão das famílias e da equipe da UMEI. Ainda segundo Carol, os alunos capricharam na produção e participaram dançando e brincando. “Recebemos muitas fotos desse arraial em casa e, cada um colocou um nome na festa: uns chamaram de “Arraial da Saudade”, outros colocaram o nome da criança. Muitos também fizeram vídeos e mesmo aqueles que não tinham condições, participaram com coisas simples, pintaram as crianças ou fizeram um lanche. O resultado foi muito bacana e válido, porque atingimos também as famílias”, conta.

As atividades escolares em Mateus Leme estão acontecendo virtualmente e à distância. O material é disponibilizado às famílias e grupos foram criados nas redes sociais entre professoras e pais para solucionar possíveis dúvidas. As instituições da rede municipal de ensino também aderiram ao arraial virtual, entre elas, as escolas Judith Abreu Oliveira, Professora Bertina Ferreira, em Varginha, Hélen Jaqueline de Souza, em Azurita, e Dona Lúcia Dias.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui