Transporte Escolar vira alvo de críticas na Câmara

0
88

Legislativo questiona superlotação nos ônibus escolares e cobra aquisição de mais veículos

Um dos assuntos mais debatidos pelos vereadores de Juatuba na reunião ordinária dessa semana foi a situação à qual os estudantes da rede municipal de ensino estão sendo expostos, com a superlotação dos ônibus que fazem o transporte escolar na cidade. O presidente da Câmara, Jurandir Santos, disse que um vídeo que está circulando nas redes sociais onde o problema é evidenciado o deixou preocupado com a segurança dos alunos. Por isso, ele requereu ao Executivo a colocação de mais três ônibus para atender a demanda do transporte escolar do município.

A atual administração contratou a Sudeste Brasil Cooperativa de Transportes para assumir o serviço em Juatuba por meio de uma ata de adesão de outra cidade. A empresa começou a rodar no município no dia 1º de agosto. 

“A indicação que fiz foi realmente por causa daquele vídeo, que nos deixou bastante preocupados. Tinha uma criança sentada no chão. Cada ônibus custa R$ 10 mil para o Município. Se forem colocados mais três, são R$ 30 mil por mês, eu acho que dá perfeitamente para o Município aumentar esse número de ônibus”, defendeu Jurandir.

A medida foi apoiada pelo vereador Leonardo Cristiano de Abreu Ferreira, o Léo da Padaria, que falou ainda dos questionamentos na cidade sobre a manutenção nos veículos. O parlamentar relatou que recebeu informações de que em um dos ônibus estavam faltando cadeiras, mas que o problema foi resolvido pela empresa. No entanto, Léo destacou que além de mais veículos, o Município precisa também e mais profissionais para supervisionar os estudantes. “Podemos dizer que não tem ônibus reserva nem monitora. O bairro Satélite hoje (segunda-feira, 12) ficou sem ônibus na parte da manhã porque o veículo não funcionou no pátio e a monitora faltou. Mais uma vez os ônibus foram superlotados”, contou.

Léo da Padaria ressaltou que espera que o prefeito Antônio Adônis Pereira resolva o problema em caráter de urgência. “O que a administração passada não fez, essa precisa entrar e resolver”. O vereador também lembrou que a empresa contratada estava mantendo os veículos em espaço público e o presidente da Casa salientou que a prática não era legal, mas que o empresário responsável pela frota já conseguiu alugar um espaço para abrigar os ônibus. Jurandir completou dizendo que a empresa não estava realizando a manutenção dos veículos pela falta de um local adequado na cidade.

Já o vereador Wellington Pinheiro pediu que o Executivo envie uma cópia do contrato com a empresa prestadora do serviço de transporte escolar no município, a Sudeste Brasil Cooperativa de Transportes, para acompanhamento e fiscalização.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui