Entrevista de Célia à Rádio Itatiaia repercute mal e população protesta

0
448

A morte precoce de Eduardo Ferreira de Oliveira, de 2 anos, o Dudu, na última semana, comoveu Juatuba e região. O menino ficou dois dias desaparecido antes de ser encontrado, afogado em uma lagoa a poucos metros de onde morava. Antes do desaparecimento, Dudu estava com as irmãs mais velhas em casa e a revolta da comunidade da Vila Maria Regina ficou evidente nas inúmeras manifestações registradas durante o velório e o sepultamento da criança. Muitos moradores afirmaram que se o bairro tivesse uma creche, a tragédia poderia ter sido evitada e, nas entrevistas concedidas aos vários veículos de comunicação que cobriram o fato, e também através das redes sociais, a morte de Dudu serviu para que a comunidade reafirmasse os problemas vividos pelas crianças da região. Os apelos populares foram tema de uma entrevista da vice-prefeita de Juatuba, Maria Célia da Silva, a um programa de rádio e ela foi duramente criticada após dizer que “creche não salva vidas”.

Indagada sobre a falta de uma creche na região de Vila Maria Regina e Icaraí pela repórter da Rádio Itatiaia, Célia afirmou: “eu gostaria de deixar bem claro que creche não salva vidas. Então, nesse momento, usar isso para não solidarizar com a dor dessa família, acho muita covardia. Quando se fala de creche nessa cidade, se fala do prefeito Adônis”, afirmou Maria Célia.

A entrevista foi reprovada pela população e o apresentador do Programa Itatiaia Patrulha, Renato Rios Neto, também não poupou críticas a Célia. Lembrando que a falta de creches é uma realidade vivida por muitas famílias, nas quais os filhos mais velhos precisam cuidar dos irmãos mais novos, Renato desabafou: “a comunidade está em luto, porque era uma criança cuidando de outra criança, pois o local não tem uma creche. A gente sabe que adolescente hoje fica no zap (sic). Então, senhora vice-prefeita, com todo respeito, não é uma crítica pessoal e sim, institucional: a comunidade tem que ser ouvida e com respeito. A senhora disse que eles podem apresentar um projeto de creche no orçamento participativo e esperamos que a população faça isso e que seja respeitada a vontade dessa comunidade e não seja jogado para debaixo do tapete. Essa questão da creche é muito importante para entender essa tragédia sim, poderia salvar vidas sim, e fica a reflexão”, disse Renato Rios Neto.

Falta de atendimento

Juatuba tem cinco creches municipais e uma instituição, a creche “Pintando 7”, mantida através de parceria entre a prefeitura e a Associação do Bairro Satélite. O número de vagas disponibilizadas é insuficiente e para comprovar este fato, basta acessar o Portal da Transparência do Registro Civil, que mostra que entre 2016 a 2019, nasceram no município mais de 1,4 mil crianças. Ou seja, um dos mais graves problemas da cidade é a falta de atendimento às crianças, principalmente aquelas carentes, cujas mães precisam trabalhar para complementar o orçamento doméstico e não têm onde deixar os filhos em segurança.

Manifestações

Através da rede social, o prefeito Antônio Adônis disse que após sua gestão em 2012, não houve mais investimento na educação básica do Município. “Muita gente está falando que se tivesse uma creche, isso não teria acontecido. É claro que não. Mas, nós estamos aqui apenas há sete meses e já estamos providenciando o projeto de três modelos de creches, duas menores e uma maior…. agora achar um culpado…. vamos ver lá atrás então, na gestão anterior”, declarou.

Após a fala da vice-prefeita, moradores do bairro Vila Maria Regina fecharam a rodovia MG 050 entre Juatuba e Mateus Leme e realizaram protestos, reivindicando a construção de uma creche na região.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui